Marcos Dark Em 1 - maio - 2015

O DIÁRIO DE MATT MURDOCK – Parte 24

MattMurdock024A

– Daredevil n° 21 ( Outubro de 1966 )

* “The Trap Is Sprung”, história escrita por Stan Lee, desenhada por Gene Colan, artefinalizada por Dick Ayers, Bill Everett e Frank Giacoia

Publicada no Brasil pela Ebal na revista O Demolidor n° 20 (“A Armadilha Se Fecha”); pela editora Bloch na revista Demolidor n° 14 (“A Armadilha”)

Preso pelo vilão Coruja, que pretende jogá-lo em um poço sem fundo, Demolidor não demora muito para escapar da armadilha e revidar contra a gangue do criminoso. A batalha claramente não pode durar muito no castelo onde estão. O local, erguido em uma ilha vulcânica, já está desgastado e pedaços do teto começam a mostrar que tudo ali vai ruir. A agitação e os tiros disparados só pioram a situação. O Coruja foge planando, mas o Demolidor ainda o persegue, sabendo que o local não aguentará muito tempo e que ele ainda tem que salvar o juiz que o criminoso sequestrou. Para piorar a situação, o vulcão que domina o local entra em erupção.

Perseguindo seu inimigo, o Demolidor chega ao fim de um túnel, onde há uma porta de ferro. O herói não sabe o que há atrás dela (afinal, seu radar não é visão de raios-X…). Quando a porta se abre, ele se depara com a grande arma secreta do Coruja: uma enorme coruja mecânica que é controlada remotamente. O Demolidor faz o possível para se desvencilhar do ataque do construto, até que consegue atingir seu bastão no painel do controle e chegar até o próprio Coruja.

A enorme coruja mecânica voa desgovernada para fora do castelo, que começa a ruir graças ao impacto das erupções. Demolidor e Coruja se agarram no monstro mecânico para fugir. Nos céus, o Coruja  tenta derrubar o Demolidor, mas o herói consegue revidar e derrubá-lo, apesar do criminoso fugir planando enquanto ele fica no dorso da coruja mecânica.

O herói consegue controlar o voo da coruja mecânica apenas dosando o peso de seu próprio corpo sobre a criatura. Com isso, direciona-a até o juiz e o salvando da ilha que está sob a força destrutiva do vulcão.

A dinâmica dessa história exige que haja mais ação e ela, como um todo, acaba se tornando uma história bem direta, com poucos acontecimentos (na verdade, muitos; mas poucos em relação ao que foi feito anteriormente). Exercício perfeito para que Gene Colan possa mostrar sua arte e cena movimentas e tornar algo que seria ridículo (a coruja gigante) em uma desculpa perfeita para brincar com ângulos bem característicos de sua quadrinização.

MattMurdock024B