Marcos Dark Em 23 - abril - 2015

O DIÁRIO DE MATT MURDOCK – Parte 21

MattMurdock021A – Daredevil n° 18 ( Julho de 1966 )

* “There Sahll Come A Gladiator”, história escrita por Stan Lee e Denny O’Neil, desenhada por John Romita Sr, artefinalizada por Frankie Giacoia

Publicada no Brasil pela Ebal na revista O Demolidor n° 17 (“Surgirá um Gladiador”); pela editora Bloch na revista Demolidor n° 13 (“Aí Vem o Gladiador”)

Que atire o primeiro bastão o leitor que não imaginou o roliço Foggy Nelson em uma roupa de Demolidor. Afinal de contas, desde a aventura passada, o sócio de Matt Murdock vem alimentando a mentira de que ele é o Demolidor, tudo para impressionar Karen Page. Pois na presente edição ele leva essa… hã… mentirinha um pouco longe demais. Longe demais até para o que ele mesmo esperava, já que essa história marca o surgimento de um tradicional inimigo do homem sem medo.

Foggy está mesmo a fim de investir na fantasia de que ele é o Demolidor. Eu diria que até literalmente, já que ele procura uma loja de fantasias com o uniforme do herói que… sirva-lhe, afinal. Em uma dessas lojas, ele é atendido por um sombrio proprietário que, de cara, tenta despachar a ideia de Foggy em usar o uniforme vermelho. Afinal de contas, ele está… um pouquinho acima do peso pra isso, a ponto de um uniforme ter que se adaptar a sua pança. Mas Foggy é persistente, dinheiro não é problema e ele acaba encomendando a vestimenta para o taciturno homem.

A ideia começa a ir ainda mais longe quando Foggy acaba aceitando uma ideia adicional do nada confiável fabricante de fantasias: simular um ataque de vilão contra ele (o “Demolidor”) para impressionar ainda mais. É claro que Foggy não seria páreo nem mesmo para enfrentar o mais pífio dos vilões. Mas até isso o “bondoso” homem lhe dá a solução: Ele mesmo será um vilão e o enfrentará. Foggy adora a ideia, mas…

O que o ingênuo (e mentiroso) advogado não sabe é que suas mentiras podem acabar tendo pernas curtas literalmente. O dono da loja de fantasias é tão dedicado a seu ofício que acredita que o uniforme faz o homem. Ou seja, os super-heróis são o que são devido ao modo que se vestem. Dessa forma, caso se vista como um uniforme colorido também pode se considerar super. É com isso em mente que ele faz uma fantasia para si mesmo, com um elmo e lâminas em seus antebraços. Nascia assim o vilão que seria conhecido como… Gladiador.

É claro que Matt Murdock acompanhava mais que de perto as trapalhadas de seu sócio, com o incômodo de não poder impedir tão diretamente, com o risco de revelar que ele mesmo é o verdadeiro Demolidor. Nessa marcação cerrada, o herói acaba seguindo seu amigo (agora acompanhado da ainda mais inocente Karen, que já acreditava que Foggy fosse o Demolidor) até um enevoado cais.

Assim que o Gladiador chega, Foggy já percebe que seu tom estava um tanto realista demais. Mas tudo fazia parte do plano. Ou será que não? Logo de cara, Foggy percebe como é difícil para um super-herói trocar de roupas para lutar. Não só pelo fato de que ele não faz a menor ideia de onde deixar o paletó caríssimo que vestia, mas também por ser um tanto apertaaaaaaaaaado para alguém do porte dele vestir o uniforme de Demolidor (mesmo adaptado).

Foggy não dura um segundo sequer antes que o Gladiador o atinja. O “vilão” parece estar totalmente desequilibrado com sua obsessão em assumir um papel de superameaça e por muito pouco não mata o falso Demolidor com suas lâminas.

Logo em seguida, o verdadeiro Demolidor entra em ação e enfrenta o Gladiador. O vilão, no entanto, pensou em detalhes sua vestimenta. Em dado momento, ambos caem na água e o Demolidor descobre que seu adversário embutiu até mesmo um mecanismo em seu elmo para lhe garantir oxigênio. Fingindo desmaiar debaixo d’água (truque que aprendeu desde que enfrentou Namor – vide o Diário de Matt Murdock parte 8), o herói consegue o elemento surpresa e, com isso, a vantagem para finalmente derrotar o Gladiador.

O Demolidor chega a encontrar policiais, que chegam ao enevoado local, e lhe entrega o exótico vilão. Em meio à neblina, assim que o verdadeiro Demolidor sai de cena, a polícia encontra o falso Demolidor acreditando ser a mesma pessoa (mesmo que nunca imaginasse um herói tão rechonchudo como aquele).

O saldo final da brincadeira de Foggy é que Karen, que tentou buscar ajuda para o “seu Demolidor” acabou passando mal diante de tanta emoção. As peripécias de Foggy Nelson estão causando mais confusão do que o próprio Demolidor pode enfrentar… e isso terá que terminar logo.
MattMurdock021B